Comentários

Com o passar dos anos, os games tem cada vez mais alcançando gráficos lindos e realistas, entretanto, a narrativa tem sido um pilar fundamental. Para se medir a qualidade, profundidade e impacto de um jogo, não tem como deixar de pensar na história que o mesmo entrega.

A importância narrativa em um game tem tido resultados em todos os sentidos. Em primeiro lugar, jogos com boa narrativa tem sido os principais em prêmios e honrarias. Além disso, no aspecto das vendas, não decepcionam nem um pouco. Vamos falar sobre todas as ramificações e exemplificar.

O sucesso nos prêmios

Os prêmios são sempre uma forma de se medir a qualidade de um jogo. É muito difícil que um jogo premiado não agrade ao público geral ou não venda bem, por exemplo. De fato, se analisarmos os principais premiados da última década, a narrativa forte está presente em todos!

O jogo mais premiado da história, The Last Of Us Part II (340 prêmios de jogo do ano e vencedor da The Game Awards), tem muito a mostrar sobre isso. O game pode ter ótimos gráficos, boa jogabilidade, poucos bugs e demais elementos com grande polimento, mas seu ponto crucial é a história. A forma como é contada e executada, junto da profundidade imposta fizeram com o que o jogo da Naughty Dog chegasse nesse nível de qualidade.

Outro exemplo é God Of War, vencedor de mais de 200 prêmios de jogo do ano e também da The Game Awards. O jogo entrega ótimo combate, gráficos extremamente bem feitos e alto nível de detalhes, entretanto a história é vital para o desenvolvimento de toda a trama.

No mesmo ano (2018), tivemos Red Dead Redemption II, mais um game super premiado. A história de redenção de Arthur Morgan foi uma das mais bem escritas e de maior profundidade até os dias de hoje. Sem dúvida, uma coluna vital na qualidade absurda do game.

Zelda: Breath of the Wild também. O jogo mais premiado de 2017 e vencedor do prêmio principal da TGA, apresenta uma história muito interessante e que prende o player no universo do game durante muitas e muitas horas. É um nível de imersão que gera uma conexão grande.

Uma boa narrativa é sinônimo de boas vendas

Um jogo com uma história bem escrita é um jogo que se sairá bem nas vendas. É um reflexo natural! Por exemplo, podemos citar novamente The Last Of Us Part II. O game, totalmente guiado pela estrutura narrativa, quebrou o recorde de vendas em uma estréia no Playstation, vendendo mais de 4 milhões de cópias em 3 dias.

Zelda: Breath of the Wild vale ser citado novamente. Relatórios de março de 2021 apontam que o game vendeu um total de 22 milhões de cópias. Uma quantia surreal.

O exemplo se dará em muitos outros jogos single-player e de boa narrativa. Spider-Man (2018) é um dos games mais vendidos da geração PS4. God Of War e Red Dead Redemption II, citados anteriormente, também venderam rios de cópias. The Witcher 3, um dos mais premiados, é também um sucesso de vendas, com 30 milhões de vendas.

A tendência deve estar cada vez mais presente

Em outras palavras, o mercado deve seguir essa ideia de focar em boas experiências narrativas. Sem ser os citados, existem jogos menores como Life is Strange, Journey e A Plague Tale: Innocence os quais também se sairam muito bem em seus objetivos.

Os pronunciamentos com essa ideia vem de todos os lados. Por exemplo, a Sony já citou inúmeras vezes que quer manter em jogos single-player e experiências impactantes. A Microsoft, por sua vez, deve mudar de postura e trazer cada vez mais jogos com histórias marcantes. Os players, por sua vez, sempre respondem bem a gameplays que não sejam meramente “jogar”, quando pode se haver maior conexão.

Definitivamente, o mercado deve buscar cada vez mais jogos assim. Como resultado, teremos jogatinas cada vez mais primorosas e de maior conexão do jogador para com o mundo dos games.



Comentários