Comentários

O Nintendo Switch OLED é lançamento mais recente da Nintendo para a família de consoles Switch. Juntando-se ao Switch original, ao modelo de bateria aprimorado e ao Switch Lite, o OLED é a próxima atualização disponível.

Mas sem nenhuma mudança no desempenho do próprio Switch, ainda oferecendo os mesmos componentes internos para rodar jogos, o que há de tão diferente no modelo OLED? Bem, há mais mudanças do que você imagina – pequenas coisas que fazem uma grande diferença.

Tela OLED vibrante e maior

Em primeiro lugar, o switch OLED obviamente tem uma tela melhorada. O novo display OLED tem 7 polegadas, em comparação com o original de 6,2 ou a tela de 5,5 polegadas do Lite. O espaço da tela por si só já faz uma diferença quando jogando como um portátil, mas a tecnologia OLED só aumenta isso ainda mais.

O OLED traz cores vibrantes, o novo modelo tem até um botão de alternância nas configurações para um Modo Vibrante, que estará ativado por padrão. Isso fará as cores se destacarem mais e fará uma diferença perceptível na profundidade das cores durante a reprodução de imagens. Cenas escuras com luzes fortes nunca estiveram melhor. Além disso, o novo modelo apresenta uma tela de vidro, em comparação com a tela de plástico do original.

Suporte traseiro reforçado

Outra mudança com a qual os fãs ficarão satisfeitos é o novo suporte traseiro. No Switch original, o suporte era estreito, frágil e parecia um plástico barato que poderia quebrar. Além disso, para um mecanismo projetado para manter seu switch em pé, ele mal conseguia fazer isso se fosse esbarrado.

Com o modelo OLED vem um suporte mais largo, abrangendo toda a metade inferior das costas do Switch. Este suporte é feito de um material mais resistente e durável e possui uma dobradiça que pode segurar o switch com segurança em qualquer ângulo. Da mesma forma, existem pequenos pés de borracha na parte inferior do console, firmando-o ainda mais. Uma melhoria muito necessária para os fãs de jogos de mesa.

Alto-falantes ligeiramente aprimorados

Algo que a própria Nintendo não abordou muito antes do lançamento é a qualidade de áudio aprimorada. Os próprios alto-falantes foram ligeiramente melhorados em relação ao original, oferecendo um som mais nítido e um pouco mais alto.

Essa diferença provavelmente será mais perceptível ao comparar dois consoles Switch lado a lado, mas, caso contrário, causará uma sutil melhora na qualidade de vida enquanto você joga. Não muito significativo, mas certamente apreciado.

O armazenamento interno dobrou de tamanho

O Nintendo Switch original tinha 32 GB de armazenamento interno – algo que quase não era suficiente, com alguns jogos sendo mais do que isso. Os jogos de switch têm o potencial de serem compactados em um armazenamento menor, mas era muito pouco para algo que pode funcionar como um console doméstico.

O modelo OLED não melhora absurdamente nesse aspecto, mas o armazenamento dobrou – 64 GB de armazenamento interno é muito melhor, mas de uma forma ou de outra, você vai acabar precisando de um cartão micro SD. Se você está atrás de alguns indies de cada vez, no entanto, esta será uma mudança bem-vinda.

Botões elegantes, design premium

Voltando à construção do modelo, o OLED como um todo parece mais premium. O plástico ao longo da parte de trás do console é mais forte, o metal envolve a tela agora de vidro na frente do console e os botões receberam uma nova sensação ao pressionar.

Agora com uma construção mais elegante e esguia, cada um dos botões do console parecem mais modernos. Claro, o switch em si é o mesmo por dentro, mas a estética faz com que pareça de uma nova geração de consoles. Não muda muito em termos de funcionalidade, mas para algo que você estará segurando enquanto joga, certamente é melhor.

Menor mudança, maior impacto

Uma mudança que parece tão minúscula que nem deveria valer a pena mencionar, mas é uma diferença tão significativa para muitos que todos deveriam estar cientes dela. O modelo Switch OLED é aproximadamente um milímetro mais largo que o original – sim, chocante.

Mas, falando sério, isso significa que muitos dos acessórios, como suporte para Joy-Con e cases que ficavam apertadas não poderão mais ser usados na versão OLED. Alguns podem apenas se encaixar com um empurrãozinho, mas honestamente não é recomendado. Se você tem um suporte para o Joy-Con favorito, pode ser hora de comprar um novo com compatibilidade com o modelo OLED.

Uma maneira totalmente nova de conectar

O próprio dock também passou por uma reforma. O original era quadrado, com um grande logotipo na frente e apresentava duas portas USB na lateral. Na parte traseira, atrás de uma aba com dobradiças de plástico, está outro USB, bem como a porta AC e a porta HDMI.

O novo dock tem bordas arredondadas – combinando com a construção elegante – com um logotipo menor na frente. As duas portas USB permanecem na lateral, mas a parte traseira é onde ela muda ainda mais. A aba agora é totalmente removível, ao invés de dobradiças, e cobre as portas AC e HDMI, mas agora uma porta Ethernet (substituindo o terceiro USB). Agora, você pode conectar seu switch acoplado via LAN sem a necessidade de um adaptador.

Novo Switch, nova caixa

Finalmente, a primeira diferença que você notará ao pegar um OLED em comparação com o original é a embalagem. A caixa antes retangular agora é mais quadrada e cabe tudo um pouco mais compacto do que antes. Você ainda vai abri-lo para encontrar um encarte de papelão apresentando o Switch e o Joy-Con, com todo o resto embalado embaixo.

Esta não é uma mudança muito significativa, mas ao escolher a nova versão do console, essa caixa ligeiramente diferente torna tudo ainda mais emocionante. É novo, é fresco, e a Nintendo pareceu tentar dar a tudo um design melhor desta vez.



Comentários