Comentários

Jogos de mundo aberto são ótimos e há muitos para escolher. Alguns deles sempre foram de mundo aberto, enquanto outros fizeram a transição de um estilo linear para mundo aberto. Isso geralmente beneficia os jogos, mas também pode introduzir problemas que são comuns em jogos de mundo aberto.

Mas a verdadeira questão é: essa transição pode seguir apenas em um caminho? Afinal, muitos títulos de mundo aberto tem uma lore profunda e personagens interessantes que poderiam facilmente ser tema de um jogo linear. Outros jogos que sempre foram de mundo aberto podem apenas precisar de uma mudança de ritmo para revitalizar a franquia, e essa mudança pode ser uma transição para uma narrativa linear. Então, com isso em mente, aqui estão algumas franquias que podem ter jogos lineares incríveis como sequências.

Assassin’s Creed

Assassin’s Creed já percorreu um longo caminho desde que o primeiro jogo foi lançado em 2007 e sua transição para um estilo RPG com Assassin’s Creed Origins em 2017 mostrou que não é estranho tentar algo novo. Então, por que não tentar ser linear?

O melhor de Assassin’s Creed sempre foram as missões em que você tinha um único alvo e inúmeras possibilidades de executa-lo. Portanto, um formato como os jogos Hitman mais recentes poderia se adequar bem à série e oferecer uma oportunidade real de revisitar o tipo de jogabilidade que trouxe a fama à série lá no início.

Watch Dogs

Watch Dogs funciona muito bem como um jogo de mundo aberto, mas seus personagens são onde o jogo realmente brilha, especialmente no caso de Watch Dogs 2. E embora o jogador os conheça ao longo do jogo, grande parte da história deles nunca é deixada clara, e isso poderia ser explorado num novo jogo.

Mas o mundo aberto provavelmente não faria sentido para um jogo tão focado em personagens. Além disso, suas histórias já têm um ponto final fixo em Watch Dogs 2, então uma estrutura linear pode se adequar bem a esse tipo de jogo, ao mesmo tempo em que adiciona profundidade aos personagens e ao mundo da série Watch Dogs.

Cyberpunk 2077

Cyberpunk 2077 é um grande jogo, mas por mais incrível que fosse, o vasto mundo aberto de Night City era um pouco vazio em alguns lugares. Muitas das atividades paralelas envolviam simplesmente tiroteios na rua e, uma vez concluídas, o mundo parecia vazio. Por outro lado, suas missões secundárias focadas na história e na narrativa foram onde o jogo brilhou.

Então, se os elementos de mundo aberto foram os elementos mais decepcionantes, por que não criar um jogo linear na próxima? Um jogo onde as escolhas sejam importantes, mas as missões sejam sequenciais para que o jogo possa focar no que fez de melhor: narrativa empolgante e cenários incríveis.

Prototype

Apesar de Prototype 2 ter sido lançado em 2012, a série ainda tem potencial – embora apenas para se afastar de suas raízes de mundo aberto. Em vez de ser focado em violência e destruição, o potencial para um Prototype linear que se concentra em furtividade e caça aos seus inimigos como um mutante metamorfo é muito grande.

Imagine um jogo como Deus Ex: Human Revolution, em que em vez de jogar como um protagonista ciberneticamente aprimorado, você joga como uma arma biológica mutante. É improvável que isso aconteça já que a série tem poucas chances de retornar ao desenvolvimento, mas o pensamento de que poderia retornar dessa forma é agradável.

Fallout

Fallout é uma série incrível, não há dúvida disso. Mas há tantas vezes em que uma área nuclear devastada pode ser explorada que começa a parecer repetitivo. E com tantas facções para construir uma história, poderia ser o universo perfeito para um novo jogo linear.

Imagine usar a armadura potente do universo de Fallout ou suas armas improvisadas como parte de sequências de ação intensa ao invés dos encontros curtos às vezes desanimadores que os jogadores costumam encontrar nos jogos atuais da série. Criar uma experiência mais simplificada pode até permitir que um Fallout que se incline para o gênero de terror faça uso das criaturas aterrorizantes que existem no deserto.

The Witcher

Este é o segundo jogo da CD Projekt Red nesta lista, mas The Witcher não está aqui por nenhum dos mesmos motivos que Cyberpunk 2077. The Witcher 3 se destacou em quase todas as áreas e é o jogo que ganhou à CD Projekt o respeito que agora merecem . A mundo extenso e vasto de Witcher apresentava mais personagens do que muitos jogos combinados, com alguns deles mais do que dignos de seu próprio jogo.

Por exemplo, contar as histórias de outros bruxos ou explorar a experiência de um usuário de magia no universo de The Witcher poderia facilmente ser a história de um novo jogo, mas talvez não correspondesse aos elevados padrões de um mundo aberto da CD Projekt Red. Então, ser linear pode permitir que esses personagens tenham um momento de destaque, sem todo o trabalho necessário para criar um mundo tão vasto ao seu redor.

Far Cry

Parece que Far Cry tem feito a mesma coisa desde o início da série, e com Far Cry 6 não mostrando grandes sinais de mudança, pode ser a hora da Ubisoft fazer uma mudança drástica na fórmula. Isso não quer dizer que a fórmula atual não esteja funcionando para Far Cry, mas está começando a ficar obsoleta, e conforme o jogo continua a construir personagens e mundos mais complexos, um jogo mais focado poderia ajudar nisso.

Ao mudar para um estilo linear, a Ubisoft poderia levar Far Cry em uma direção totalmente nova, abrindo as possibilidades de jogos que são movidos mais por sua narrativa do que por uma mecânica de exploração cansada. E a ação em que Far Cry é centrado também não precisaria mudar, já que muitos jogos de tiro tem campanhas que contam histórias impactantes sem a necessidade de um mundo aberto.

No Man’s Sky

No Man’s Sky é um jogo centrado na exploração e que sempre fará do mundo aberto, ou melhor, da galáxia aberta, a melhor opção como jogo. Mas como você lança uma sequência para um universo inteiro? Isso é fácil – diminua o tamanho. No Man’s Sky tem uma lore surpreendentemente profunda por trás, mas a grande escala em que o jogo opera pode tornar difícil acompanhar essa lore.

Portanto, uma sequência linear poderia explorar a lore de No Man’s Sky através da exploração de uma série de missões cuidadosamente elaboradas que abrangem o universo, ainda permitindo aos jogadores a oportunidade de explorar as estrelas, mas oferecendo-lhes mais propósito do que a jogabilidade do jogo original.

Anthem

A tentativa da BioWare com jogos online foi um dos maiores fracassos do estúdio. Anthem tinha um enorme potencial tanto em sua jogabilidade única de exosuit quanto no intrigante mundo que foi construído em torno dele. Mas a força da BioWare está em suas histórias, não em jogos online e, como resultado, o jogo falhou.

Mas reviver a série como um jogo linear pode ser a maneira perfeita de fazer uso do mundo criado pela BioWare. Talvez usando Mass Effect como modelo, Anthem poderia se tornar um grande jogo de ficção científica, deixando pra trás o mundo aberto online e partindo para um foco na narrativa.



Comentários